sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Safra Agrícola Brasileira 2011 Será Recorde

Safra Agrícola Brasileira em 2011 Será Recorde. Veja também as Empresas listadas desse setor Aqui!

O Governo Federal prevê recorde de produção na safra 2010/2011 de grãos. Com estimativa de uma produção de 161,5 milhões de toneladas/ 12 milhões de toneladas acima da safra passada. Como nos anos anteriores, a soja lidera a preferência do produtor, seguida de milho, algodão, feijão e arroz – os que mais tiveram ampliação na área plantada.

Os dados do IBGE para a safra brasileira têm sido ajustados para cima ao longo do ano. Isso significa que, em primeiro lugar, em média não há um problema climático maior do que em 2010. 

Os dados dão conta de um avanço de 7% na produção de alimentos em 2011 relativamente a 2010, com aumento médio de 4% na área plantada, ou seja, 2% a 3% de ganho de produtividade por hectare.

 O grande problema, neste ano está na safra de Cana-de-açúcar que terá uma produção 7% menor do que em 2010, com queda de 6% na área plantada. Ou seja, a produção do importante energético do País caiu em área, volume e produtividade neste ano. Esse é o único fator que realmente preocupa como fonte de pressão de preços em 2011/2012.


A área plantada cresceu 4% sendo que apenas seis culturas tiveram perda de área.  Essas mesmas seis lavouras, somadas à de aveia vão ter redução de produção. A redução de produtividade por hectare ocorre também em seis lavouras (em vermelho os indicadores em queda entre 2011 e 2010). As produções de Algodão, Arroz, Batata, Cacau, Feijão, Milho e Soja, além de maiores do que em 2010, serão recordes históricos, e, portanto, as responsáveis pelo recorde histórico geral no ano.
A lavoura de cana abrange 10 milhões de hectares e produz mais ou menos 700 milhões de toneladas, ou seja, em volume é disparada a maior lavoura do País, com uma produtividade em quilos por hectare muito grande, por isso um quadro que conste a cana-de-açúcar distorceria o resultado geral. O que preocupa com relação à cana não é a alimentação na mesa dos brasileiros e sim o custo do combustível e pressões de preços internacionais dado que o Brasil é um grande player na produção de cana (o maior do mundo) e de álcool (só perde para os Estados Unidos).
Internamente o que pode - e deve - ocorrer no início de 2012 é mais uma alta no preço do álcool nas bombas dos postos de gasolina. Em parte essa alta vai ser amortecida pelo fato de que os quase 3 milhões de carros vendidos no País podem ser abastecidos também com gasolina. E sempre há a possibilidade de redução na mistura de álcool na gasolina.

Em termos de pressão por conta de alimentos, isso somente ocorrerá se a demanda mundial crescer fortemente, e não por problemas de safra. De qualquer forma, se de um lado o aquecimento da demanda mundial pode pressionar nossa inflação, de outro, o País vai receber mais um ano de bônus internacional sob a forma de preço de commodities e, nestes casos, a entrada de dólares pode valorizar ainda mais a moeda e fazer parte do combate a inflação pela via cambial. Aí é uma questão de escolha. Pior ainda é a situação daquelas economias que pagam o preço alto e não têm ao menos o benefício do bônus de ser um produtor de commodities nesses tempos.
www.oliveiralimainvest10.blogspot.com

A tabela abaixo mostra a evolução esperada do setor agrícola em 2011, frente o realizado em 2010:

·         Algodão: 47 %
·         Amendoim: 6 %


·         Arroz: 18 %
·         Aveia: - 3 %
·         Batata Inglesa: 9 %
·         Cacau: 4 %
·         Cana-de-Açúcar: -7 %
·         Café: -8 %
·         Cebola: -8 %
·         Cevada: 8 %
·         Feijão: 19 %
·         Laranja: -2 %
·         Mamona: 49 %
·         Mandioca: 7%
·         Milho: 4 %
·         Soja: 8 %
·         Sorgo: 19 %
·         Trigo: - 11 %
·         Total Safra: 7 %
·         Produtividade: 2 % com estimativa de uma produção de 161,5 milhões de toneladas.


# Companhias Brasileiras Abertas  Agro Business

COSAN.  Código do Ativo: CSAN3  COSAN/RI

A Cosan teve sua fundação em 1936, com a operação da Usina Costa Pinto, em Piracicaba (SP), focada na produção de açúcar e etanol. A partir da década de 80 iniciou-se um processo de expansão baseado principalmente em aquisição de empresas do setor.

 Atualmente é uma das maiores Companhias do país e possui um portfólio de negócios totalmente diversificado e integrado desde a prospecção de terras agrícolas, passando pela produção de açúcar e etanol, distribuição e comercialização de açúcar no mercado de varejo, além da distribuição de combustíveis e comercialização de lubrificantes.

Através da Raízen, empresa brasileira fruto da joint-venture formada em junho de 2011 entre a Cosan e a Shell, a Companhia é responsável pela produção de mais de 2.2 bilhões de litros de etanol por ano para atendimento ao mercado interno e externo, 4 milhões de toneladas de açúcar e 900 MW de capacidade instalada de produção de energia elétrica a partir do bagaço da cana.

 A Companhia cultiva, colhe e processa a cana-de-açúcar - principal matéria-prima utilizada na produção de açúcar e etanol. Possui cerca de 4.500 postos de serviço para distribuição de combustíveis espalhados pelo Brasil com as marcas Esso e Shell, 550 lojas de conveniência, 53 terminais de distribuição e presente em 54 aeroportos no negócio de combustíveis de aviação.

No mercado de varejo de açúcar, a Cosan atua desde 2002 quando adquiriu a usina Barra Bonita que produzia o açúcar sob a marca Da Barra. Já em 2009, a Companhia incorporou a Nova América S.A adicionando ao portfólio de produtos da Companhia mais 4 marcas que comercializam açúcar no mercado brasileiro incluindo a líder absoluto de mercado União. Em julho de 2011, foi criada a Cosan Alimentos que responde por mais de 35% de market share de açúcar refinado no varejo em mais de 80 mil pontos de venda em todo país.



Resultado da fusão dos terminais da Cosan Portuária e da Teaçu Armazéns Gerais, a Cosan criou a Rumo Logística, empresa focada no transporte eficiente de commodities agrícolas em todas as etapas, uma rota que se encerra nos terminais da empresa no Porto de Santos.

 Desde o nascimento, é a maior transportadora e operadora portuária de açúcar do mundo oferecendo serviços integrados de transporte multimodal, armazenagem e elevação portuária com capacidade para embarque de mais de 11 milhões de toneladas de açúcar e outros granéis por ano e de 40 mil toneladas de açúcar ensacado Santo. Em 2011, a capacidade para transporte de açúcar por ferrovias era de 5 milhões de toneladas por ano, operado em parceria com a América Latina Logística (ALL).



Heringer Código do Ativo: FHER3  Heringer/RI

A Companhia é controlada pela família Heringer, família essa com um longo histórico de investimento e participação no setor agrícola brasileiro.

A Companhia foi constituída em 1968 pelo engenheiro agrônomo; Dalton Dias Heringer como uma empresa individual sob a denominação de Dalton Dias Heringer.

 A Companhia iniciou suas operações no Estado de Minas Gerais, fornecendo fertilizantes a produtores de café, por meio de uma pequena fábrica na Cidade de Manhuaçu.

Em 1973, ocorreu a transformação para Fertilizante Heringer Ltda. Posteriormente, em 1973, a Companhia instalou-se próximo ao porto de Vitória, no Estado do Espírito Santo, onde passou a atuar em um armazém alugado, fornecendo fertilizantes para variadas culturas, com o objetivo de atender não só esse Estado, mas também Estado do Rio de Janeiro e o sul da Bahia. Em 1979, a Companhia construiu sua unidade de produção própria, na Cidade de Viana, Estado do Espírito Santo.

Ainda em 1979, a Heringer iniciou suas operações no Estado de São Paulo, primeiro na Cidade de Santos e depois em Paulínia, quando conseguiu aumentar consideravelmente seu volume de clientes, aproveitando as oportunidades do Estado de São Paulo, um dos maiores consumidores de fertilizantes do Brasil. Em 1985 a Heringer implantou uma unidade de produção própria na Cidade de Paulínia, São Paulo, ampliando seu mercado por todo o Estado.

 A década de 90 foi repleta de conquistas para a Companhia, dentre as quais: (i) em 1994, programou o centro de pesquisas cafeeiras “Eloy Carlos Heringer”, em Minas Gerais; (ii) em 1996, construiu uma nova unidade em Manhuaçu, mais moderna e com maior capacidade de produção; (iii) em 1997, iniciou suas atividades de produção de fertilizantes em Paranaguá, no Estado do Paraná e (iv) em 1998 construiu uma nova unidade de produção na Cidade de Três Corações, Estado de Minas Gerais, atendendo os mercados do sul e oeste do Estado.

 Em 2000, a Heringer construiu uma nova unidade de produção em Uberaba, passando a atender a todo o triângulo mineiro e ao Estado de Goiás.

Em 2001, entrou em operação a unidade de produção de Camaçari, no Estado da Bahia, que passou a atender o Estado da Bahia e o norte de Minas Gerais.

 Em 2002, arrendou uma unidade de produção na Cidade de Catalão, no Estado de Goiás, aumentando sua participação de vendas naquele Estado.

 Em 2004, foi arrendada uma unidade de produção em Rondonópolis buscando ampliar suas atividades no Estado do Mato Grosso. 

Em 2003, a Companhia implantou o CEMAP - “Centro de Manejo e Adubação em Pastagens” no município de Viana e no ano seguinte inaugurou uma nova unidade de produção nesse município, com maior capacidade de produção e mais moderna, em substituição à anteriormente construída.


Posteriormente, em novembro de 2004, a Heringer realizou sua transformação de sociedade limitada para sociedade por ações, com o consequente aumento de seu capital social decorrente de investimento realizado pela AIG Capital Partners de 20,6% de seu capital social.

No ano de 2005, a Companhia construiu sua unidade de produção de Rosário do Catete, Estado de Sergipe, com vistas a atender de forma eficiente os Estados da região nordeste. 

Em 2006, inaugurou a sua unidade de produção própria em Paranaguá, Estado do Paraná e passou a realizar misturas em uma unidade de produção terceirizada na cidade de Bebedouro, Estado de São Paulo.

O ano de 2007 foi também um ano de expansão das áreas de atuação da Companhia, com ampliação de algumas unidades já existentes e inauguração de outras novas (unidades próprias e alugadas/terceirizadas). 

O Ano de 2007, foi integralizada a capacidade de produção da unidade de Bebedouro-SP, iniciou-se a operacionalização de unidades em Rio Brilhante-MT, Iguatama, MG e foi concluída as expansões nas unidades de Manhuaçú-MG e Três Corações-MG, além de inaugurado uma nova unidade própria em Ourinhos-SP e uma unidade arrendada em Porto Alegre-RS.

Em 2008 a Companhia adquiriu uma unidade em Rio Verde/GO, construiu sua unidade própria em Catalão e também concluiu seu processo recente de verticalização, inaugurando a sua nova fábrica de produção de Super Fosfato Simples (SSP) em Paranaguá, PR. O SSP é uma matéria-prima fonte de fósforo (P) e de suma importância para o solo brasileiro, especialmente no Centro-Oeste, onde o solo apresenta baixa concentração de enxofre.

Entre os anos de 1995 e 2010, a Heringer apresentou um índice composto de crescimento anual de volume de vendas de aproximadamente 17,5%, o que representou um crescimento aproximadamente 3 vezes superior ao do mercado de fertilizantes para o mesmo período.




SLC AGRÍCOLA. Código do Ativo: SLCE3 
 SLC Agrícola/RI 

Tereos.  Código do Ativo TERI3  www.tereos.com



Vanguarda Código Ativo: VAGR3  
V Agro/RI "Brasil Ecodiesel".

A Vanguarda Agro é uma sociedade anônima, constituída no Brasil, possuindo o status de Companhia Aberta deferido pela CVM em 9 de novembro de 2006. 

A Companhia foi constituída em 18 de julho de 2003, sob a forma de sociedade limitada. À época, a Companhia era controlada pela Brasil Ecodiesel Participações S.A., empresa holding que também controlava as atuais subsidiárias.

Em 14 de agosto de 2006, a Companhia incorporou a Brasil Ecodiesel Participações S.A., foi transformada em sociedade anônima, alterando assim a sua denominação social para Brasil Ecodiesel Indústria e Comércio de Biocombustíveis e Óleos Vegetais S.A., que permaneceu sendo sua  denominação social até 10 de outubro de 2011, quando foi alterada para Vanguarda Agro S.A.

 Em 10 de novembro de 2006, foi realizada a Oferta Pública Inicial de Ações, onde foram emitidas 31.577.685 ações ordinárias e nominativas, sem valor nominal, ao preço de R$ 12,00 por ação.

Desde então a Companhia permaneceu entre os principais players do mercado de biodiesel brasileiro, implantando 6 unidades de produção de biodiesel pelo Brasil.

Entre 2008 e 2010, a Companhia passou por uma reestruturação operacional e financeira, o qual resultou: (i) nova estrutura de capital; (ii) na pulverização do Capital na Bolsa de Valores, (iii) na mudança da sede social da empresa para São Paulo – SP; (iv) na desativação de 2 Unidades de Produção de Biodiesel.

Em outubro de 2010, os administradores da empresa identificaram a oportunidade de ingressar no agronegócio, em sentido amplo, com a diversificação e um primeiro passo para verticalização das operações. 

Tal decisão teve como elementos motivadores: (i) a crescente demanda por alimentos no mercado interno e externo; (ii) a aceleração econômica de países em desenvolvimento criando um grande mercado d consumo; (iii) vantagens comparativas e competitivas das condições edafoclimáticas; (iv) o conhecimento, a produtividade e a competitividade em uma agroindústria sem subsídios; e (v) a potencial intersecção de negócios (geração primária de produtos agrícolas, industrialização, produção de biodiesel, transporte e armazenamento). Dentre deste contexto, em 23/12/2010 foi aprovada a incorporação das ações da Maeda S.A. Agroindustrial (“Maeda”), que se tornou subsidiária integral da Vanguarda Agro.

A Maeda é uma empresa agrícola com expertise no plantio de oleaginosas, em especial uma vasta área de plantio de soja, algodão e milho, além de participação minoritária em uma empresa de valorização de terras agrícolas (Jaborandi Propriedades).

Aproveitando-se da expertise adquirida com a Maeda, dos fundamentos sólidos de curto, médio e longo prazo apresentados pelo setor agrícola e da estratégia apresentada pela Companhia de concentrar esforços em sua divisão agrícola de produção de grãos e fibras, a Companhia incorporou, em 06/09/2011, as ações da Vanguarda Participações S.A., também focada no plantio de soja, algodão e milho com uma área ainda maior concentrada principalmente no Estado do Mato Grosso, uma região privilegiada e focada no agronegócio.

Com mais de 300 mil hectares, a Vanguarda Agro tornou-se a Companhia que detém a maior extensão de terras sob gestão do país, além de ser  uma das maiores produtoras de grãos e fibras do país listada no Ibovespa e no nível mais rigoroso de governança corporativa que é o Novo Mercado daBMF&BOVESPA.

Em 10 de outubro de 2011, objetivando refletir a estratégia de focar no setor de agronegócio, alterou sua denominação social para Vanguarda Agro S.A.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Saudações!!!

As 10 Bandeiras Mais Bonitas A.L.

Livros Sugeridos...

  • Plano B 4.0 Revisto e Ampliado; Lester R. Brown. Coeditores da Edição Brasileira; Bradesco, Ideia Sustentável, New Content
  • O Mercado de Ações em 25 Episódios; Paulo Portinho.Editora Elsevier
  • O Jeito de Warren Buffett de Investir. Os Segredos do Maior´Investidor do Mundo. Hagstrom Robert G/ Saraiva
  • O Homem mais Rico da Babilônia; George S. Clason
  • O Tao de Warren Buffett de Investir. Devis Clack/ Marry Buffett

Google+ Followers

IIMV.ORG

AGENDA DIVIDENDOS 2017...

APOSENTADORIA MBA 2017

APOSENTADORIA MBA 2017
INFORMACÕES

Cidade de São Paulo

Heringer

JURÍDICO OLIVEIRA LIMA 2017

JURÍDICO OLIVEIRA LIMA 2017
INFORMAÇÕES...

B3

B3
Bolsa de Valores do Brasil

Petrobras

Portal das Mulheres

Portal São Paulo

APIMEC

Reuters

Touro

VEDUCA

VEDUCA
MBA, Universidades & Certificados

VIDA E DINHEIRO